Restauração da Área de Preservação Permanente do Rio Indaiaçu - 1º Distrito de Casimiro de Abreu

Sobre

Situação: Em contratação

Data de aprovação: 30/05/2019
Unidade de Conservação: Área de Preservação Permanente do Rio Indaiaçu
Município: Casimiro de Abreu
Proponente: Prefeitura de Casimiro de Abreu
Instrumentos: Restauração florestal
Gestor Operacional: IDG

Descrição:

O município de Casimiro de Abreu está inserido parcialmente na Região Hidrográfica (RH) VI – Lagos São João e parcialmente na Região Hidrográfica VIII – Macaé e das Ostras. O Projeto proposto insere-se na RH VI, integralmente incluído nos limites da Área de Proteção Ambiental da Bacia do Rio São João/Mico-Leão-Dourado e nas proximidades do Parque Natural Municipal Vale do Indaiaçu. A restauração proposta busca recuperar os atributos ambientais e ecológicos em 5,6 hectares de Área de Preservação Permanente - APP do corpo hídrico denominado Rio Indaiaçu através do plantio e enriquecimento com uso de cerca de 7.500 mudas de espécies nativas. Conforme o Plano Municipal de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica, o município possui 83,47% de seu território indicados como áreas Prioritárias para Conservação e Recuperação, neste contexto o projeto pretende contribuir com ganhos ecossistêmicos para a região. O Projeto prevê a inibição dos fatores de degradação através do cercamento e sinalização da área. Posteriormente será feita a abertura e preparo dos berços de plantio; implantação e monitoramento das mudas durante três anos subsequentes, período após o qual objetiva-se promover a reabilitação das funções ecológicas e hidrológicas do local.

 

Objetivo do projeto:

Contribuir com a regularização ambiental de áreas de domínio público no município por meio da restauração florestal de Áreas de Preservação Permanente, conforme Lei no 12.651, de 25 de maio de 2012.

 

Objetivos específicos do projeto:

1 - Restaurar 4,3 hectares de áreas degradadas com plantio total ao longo da margem direita do rio Indaiaçu, possibilitando a formação de corredores ecológicos e a estabilização de suas margens;

2 - Restaurar 1,3 hectares de áreas degradadas com enriquecimento ao longo da margem direita do rio Indaiaçu, possibilitando a formação de corredores ecológicos e a estabilização de suas margens; e

3 - Realizar a manutenção das áreas restauradas ao longo da margem direita do rio Indaiaçu por 03 anos.
 

 

Sobre o Fundo da Mata Atlântica

O Fundo Mata Atlântica (FMA-RJ) é um mecanismo inovador que permitiu ao Rio de Janeiro subir novo patamar na utilização das COMPENSAÇÕES AMBIENTAIS.

A possibilidade de o empreendedor depositar os recursos de Compensação Ambiental num “fundo” privado e de destinação pública, que deu ganho de escala e eficiência na gestão das Unidades de Conservação do Estado do Rio de Janeiro.

Conheça o FMA-RJ e veja como esse mecanismo pioneiro, eficiente e eficaz, estruturou as áreas protegidas no Estado do Rio de Janeiro para cumprir seus objetivos e abriu este espaço rico em biodiversidade para a população, proporcionando bem estar a todos.