Olho no Verde - Monitoramento e Detecção de Mudança de Cobertura Florestal – 4ª Fase

Sobre

Situação: Aprovado

Data de aprovação: 30/05/2019
Unidade de Conservação: UCs pertencentes à Mata Atlântica
Município: Rio de Janeiro
Proponente: SEAS/Subcon
Instrumentos: Compensação ambiental
Gestor Operacional: IDG

Descrição:

Na última década o Governo do Estado do Rio de Janeiro vem estruturando sua política estadual para a conservação da biodiversidade  em sintonia com instrumentos nacionais e internacionais. Em 2016, a SEAS e o INEA iniciaram um projeto chamado "Olho no Verde", que sempre teve como objetivo precípuo o combate ao desmatamento na Mata Atlântica por meio do monitoramento dos seus remanescentes florestais.

As duas primeiras fases do projeto foram oriundas de uma parceria com a Fundação Coordenação de Projetos, Pesquisas e Estudos Tecnológicos (Coppetec/UFRJ) com a empresa Porto do Açu Prumo Logística, que forneceram um monitoramento inicial de 6.000 km² e posteriormente de 8.000 km². Já em sua terceira fase, o projeto contou com o financiamento da Câmara de Compensação Ambiental para um monitoramento de 10.000 km², que abrageram fragmentos florestais em todas as regiões do estado, principalmente os inseridos em Unidades de Conservação.

A quarta fase do projeto busca das continuidade ao acesso às imagens de alta resolução e ao serviço de monitoramento para 10.000 km², visando o fortalecimento da atuação do estado no combate ao desmatamento, o enfrentamento ao sentimento de impunidade ambiental da população fluminense, a continuação de parcerias instituicionais firmadas e o aprofundamento da cultura geotecnológica nas instituições envolvidas.

 

Objetivo do projeto:

Monitorar a cobertura florestal do Estado do Rio de Janeiro por meio de detecção periódica de desmatamento dos remanescentes da Mata Atlântica.

 

Objetivos específicos do projeto:

- Contratar serviço de acesso às imagens de satélite de alta resolução para todo o Estado do Rio de Janeiro; e

- Contratar serviço de monitoramento periódico em uma área de 10.000 km² de Mata Atlântica do Estado do Rio de Janeiro.

Sobre o Fundo da Mata Atlântica

O Fundo Mata Atlântica (FMA-RJ) é um mecanismo inovador que permitiu ao Rio de Janeiro subir novo patamar na utilização das COMPENSAÇÕES AMBIENTAIS.

A possibilidade de o empreendedor depositar os recursos de Compensação Ambiental num “fundo” privado e de destinação pública, que deu ganho de escala e eficiência na gestão das Unidades de Conservação do Estado do Rio de Janeiro.

Conheça o FMA-RJ e veja como esse mecanismo pioneiro, eficiente e eficaz, estruturou as áreas protegidas no Estado do Rio de Janeiro para cumprir seus objetivos e abriu este espaço rico em biodiversidade para a população, proporcionando bem estar a todos.